domingo, 8 de abril de 2012

Os pregadores-profetas do Novo Testamento.

No Antigo Testamento havia os chamados profetas, que eram homens escolhidos por Deus para transmitirem as mensagens de Deus ao seu povo. Eram homens especiais, obedientes e servos de Deus que nada temiam e que fielmente transmitiam as palavras de Deus. De alguns deles foram elaboradas as Escrituras veterotestamentárias, de outros apenas sabemos por citações. Alguns foram mais famosos outros totalmente anônimos. O certo era que estes eram por Deus escolhidos e detentores de alta conta para com Deus. Um versículo de 1Crônicas (16.22) muito citado por pastores que querem ser intocáveis perante os demais cristãos é sempre citado de forma truncada, evitando falar dos profetas de Deus, destacando apenas o lado dos pastores, o texto reza: "Não toqueis os meus ungidos, e não façais mal aos meus profetas". Sendo que na verdade, pelo contexto, de quem se está falando com mais destaque era dos profetas e não dos ungidos, visto que nenhum dos patriarcas foram ungidos, ou seja receberam o óleo da unção, mas era profetas, ou seja, recebiam de Deus visões e revelações diretas. E vale destacar, os ungidos o eram por profetas, mas os profetas era escolhidos diretamente por Deus.
Pois bem, em nossos dias existem muitos ungidos (homens consagrados a Deus, os pastores, os quais têm a incumbência de esta a frente dos demais cristãos, mas o número de profetas neotestamentários, pregadores que são escolhidos diretamente por Deus para transmitirem a mensagem do Evangelho de modo ousado são poucos. Homens sem "rabo preso" digamos assim, que não dependem de ninguém para serem o que são, ou de qualificação humano-terrena para serem porta-vozes de Deus, mas que pelo seu modo obediente de se comportar e viver o cristianismo são vasos preparados para todo boa obra, principalmente as mais ousadas e difíceis, como repreender com ousadia e abalo os pastores e crentes mundanos, que geram a ira da cristandade e estimulam o zelo da igreja do Senhor. Homens destemidos, uns tipos de kamikases (mártires) de Jesus, que deixam claro que não ligam para suas vidas, mas muito mais que cumpram o serviço que Deus os incumbiu (At 20.24; Fp 2.29, 30). Ao vermos homens assim, somos estimulados e encorajados a sermos mais santos, mais dedicados e esmerados na obra de Deus, tendo uma vida de temor e tremor diante do nosso Deus.
Que Deus levante mais profetas neotestamentários, é o que mais precisamos nesses dias!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário